São Lourenço Atual - Notícias de São Lourenço e Região - MG

Segunda-feira, 15 de Julho de 2024
King Pizzaria & Choperia
King Pizzaria & Choperia

Geral

Uma Tamancada além da conta, ora pois...

Uma só não, um amarrado de porrada deles.

José Luiz Ayres
Por José Luiz Ayres
Uma Tamancada além da conta, ora pois...
IMPRIMIR
Espaço para a comunicação de erros nesta postagem
Máximo 600 caracteres.

Tamancada além da conta

 

               Recordando-me do saudoso amigo lusitano, Alberto, que viveu por anos a fio como quiosque iro à estação ferroviária de Paty de Alferes, RJ, cuja simpatia cativava a todos não só pela educação; segundo dizia-se um lisboeta  pela “finesse”, mas pelo peculiar sorriso com dentes muito alvos e dadas as mesuras num simples tratamento a quem quer que fosse, sem distinção de classe, cor ou origens que a ele se chegasse.

Publicidade

Leia Também:

               Certa ocasião, ainda um adolescente, cheguei ao quiosque de Alberto no intuito de saciar a sede que me fustigava, após longa caminhada sobre o leito férreo, no percurso de ida e volta a cidade de Governador Portella, mais ou menos 20km. Como o lusitano não se encontrava no momento, vez que o quiosque mantinha-se aberto, resolvi abancar-me num dos bancos da estação e aguardá-lo, aproveitando a relaxar as endurecidas pernas. Não demorou, Alberto deixou a sala da administração caminhando ao seu negócio e, ao passar por mim, cumprimenta-me com inconfundível sorriso e indaga-me o que desejava. Retribuindo o cumprimento, ao elevar a cabeça, observo que sob o chapéu tipo boina com pala de veludo verde escuro, havia uma faixa de gaze toda a volta da cabeça. Assustando, elevei-me do banco indo ao quiosque a perguntar o que havia ocorrido.

               Ajeitando o boné de maneira cautelosa, disse que o ferimento fora causado por uma autêntica tamancada – tamanco a quem não teve a oportunidade em conhecê-lo; é uma espécie de chinelo dotado com uma tira de couro passada de um lado ao outro à altura do peito do pé, confeccionado em madeira numa peça só, onde a suposta sola e salto elevam-se de 2,5cm a 3,00cm do piso aos pés. Sua origem, segundo consta, é portuguesa, e sua utilização visava na proteção ao frio, pois a madeira é um ótimo isolante térmico. Claro que existem tamancos mais sofisticados do tipo holandês, fechados como botas – proveniente dos amarrados de tamancos que seu Manuel, o vendedor, havia deixado sob sua guarda enquanto percorria a clientela da cidade na entrega dos também ditos chócos (tamancos).

               Contou-me que àquela manhã, o quiosque estava concorrido, e a presença de fregueses  fazia-se necessário agilizar o atendimento, vez que o expresso de Paraíba do Sul não tardaria a chegar e dada à pequena permanência do trem nos embarques e desembarques, o atender aos embarcados tinha a preferência pela escassez de tempo, já que Alberto era um só e se virava para satisfazer a todos. Só que desta vez aconteceu um imprevisto. Ao ouvir o silvo a ecoar pela plataforma liberando à partida da composição, apressado a atender um passageiro embarcado, ao correr para pegar a encomenda, no que penetrou no quiosque, não soube o porquê, esbarrou forte na geladeira, que em consequência teve deslocado o amarrado de tamancos, que despencou do refrigerador o atingindo à lateral da cabeça a jogá-lo ao chão. Tonto, sem poder se erguer, tanto pelo impacto como pela dor, permaneceu sentado a surpreender-se ao passar a mão à cabeça e constatar um sangramento. Passados alguns minutos, ainda atordoado, deixa o local trôpego indo à procura do chefe da estação, seu Pereira, que ao vê-lo naquele estado, o ampara, levando-o à sua sala. Com demora providencial, lá estava o lusitano de retorno ao quiosque, tendo a cabeça enfaixada com ataduras de gaze, em que, visivelmente troncho, chega-se ao seu negócio. Só que, ao entrar, surpreende-se mais uma vez com a falta dos amarrados de tamancos e passa a ter agora, na verdade, duas dores de cabeça.

               Amargurado e bem contrariado pela sucessão de acontecimentos, pois as consequências foram as piores possíveis, quando tentava pôr ordem na casa, eis que surge no balcão do quiosque o amigo Manuel, que se espanta ao vê-lo enfaixado e indaga o que aconteceu. Alberto, bem desatinado, vira-se ao patrício e responde: “- Foi uma tamancada!” Manuel, ao ouvir, mais surpreso ainda, retruca: “- Quem deu?” Alberto, mais irritado fica, e treplica: “- Ora bolas, fui eu mesmo! Mas o pior é que os tamancos pelo visto saíram andando e desapareceram. Manuel, sorrindo, expressou-se: “- Ora, pois, tamancos não andam sem os pés a conduzi-los, mesmo porquê, estive aqui e, como não se encontrava, os conduzi a despachá-los pelo trem à Cavarú ainda hoje, para onde também seguirei. “A propósito, faço questão de presenteá-lo com um dos novos tamancos confeccionado com tira de couro forrada, a evitar ferir os artelhos de nº43, que deve ser o seu tamanho de pé.”

               Alberto, ao olhá-lo, coça com dedo o cocuruto da cabeça bem dolorida, fica a pensar e fala: “- Agradeço Manuel. Mas já imaginou se um dia a cachopa lá em casa resolve utilizar esta “arma de calibre 43” quando o ciúme lhe subir à cabeça? Não, não quero não, agradeço sua intenção, mas só eu sei o que é a dor de uma tamancada!”

               Manuel, entristecido, responde: “- Mas você não sofreu uma tamancada, mas sim uma bordoada de tamancos na cabeça! Se não queres, vou dá-los ao chefe Pereira, pois é um “solteirão convicto”, e certamente não correrá o risco de sofrer tamancadas, não é verdade ?   Deixando o quiosque, lá foi Manuel a caminho da administração à procura de Pereira, a desejar ao patrício, Alberto, um pronto restabelecimento...

Comentários:
José Luiz Ayres

Publicado por:

José Luiz Ayres

Saiba Mais
King Pizzaria & Choperia
King Pizzaria & Choperia
King Pizzaria & Choperia
King Pizzaria & Choperia

Crie sua conta e confira as vantagens do Portal

Você pode ler matérias exclusivas, anunciar classificados e muito mais!