SÃO LOURENÇO ATUAL

Água e IPTU serão reajustados em São Lourenço este ano

O reajuste do IPTU foi de 7,54% e o do SAAE ultrapassa 10%

Os novos carnês de IPTU e a conta de água em fevereiro chegarão mais caros/Foto: SL Atual

A conta de água e o carnê do Imposto Predial Territorial Urbano (IPTU) chegarão mais caros este ano para o contribuinte. O reajuste da conta de água, fornecida pelo Serviço Autônomo de Água e Esgoto (SAAE), terá um acréscimo de 10,4%. Já o IPTU teve um reajuste de 7,54%.

O reajuste da conta de água será aplicado nas leituras realizadas a partir de 1º de fevereiro com vencimento em março. O aumento superior a 10% será nas tarifas e taxas cobrado pelo SAAE. As tarifas são de água e esgoto e a s taxas são de ligação de água e esgoto, multa por violação, religação, entre outras.

Atualmente, a tarifa de uma residência, com consumo mínimo de 15 metros cúbicos de água incluído o esgoto, é de R$ 43,28. A partir de fevereiro, passa a custar R$ 47,78. O aumento será repassado para as tarifas residenciais social, comercial, público e o industrial.

De acordo com o diretor administrativo do SAAE, Matheus Piantino, o aumento das taxas e tarifas do SAAE ficam mais de 27% abaixo do que é cobrado pela Companhia de Saneamento de Minas Gerais (Copasa), que é de mais de 38%. “O aumento foi autorizado e concedido pelo Agência Intermunicipal de Saneamento do Sul de Minas Gerais, a Arissmg, que é o órgão que regula a atuação dos SAAEs. Mostramos a nossa necessidade de reajuste em cima da previsão de execução orçamentária da autarquia, que é de R$ 23 milhões anuais” explicou o diretor.

"Deste montante, temos as despesas, que incluem o pagamento de salários, e os investimentos que tem de ser feitos. Do total reajustado, de 10,41%, somente 2,87% representam um aumento real, pois 7,54% é a reposição da inflação, o IGP-M”, complementou Matheus Piantino.

IPTU

O reajuste do IPTU foi feito a partir da variação do Índice Geral de Preços do Mercado (IGP-M) em 2018, que foi de 7,54%. O aumento no imposto municipal, que é pago por proprietários de imóveis, cumpre a legislação que obriga uma atualização do valor cobrado a cada três anos.

Na proposta apresentada pela prefeitura aos vereadores, em novembro do ano passado, o poder executivo almejava um aumento médio de 16%, podendo chegar a 24,9% o reajuste do imposto. O projeto de lei foi negado pela unanimidade dos vereadores após tramitar na casa legislativa municipal e ser votado no plenário.

O projeto de lei apresentado pelo diretor de fazenda, Júlio Sacramento, previa alíquotas diferenciadas para os imóveis residenciais e comerciais de acordo com a sua localização, utilização e valor venal.

 

  • Compartilhe
  • Compartilhar no Facebook
  • Compartilhar no Google Plus
  • Compartilhar no Twitter
  • Compartilhar no WhatsApp

Água e IPTU serão reajustados em São Lourenço este ano

A conta de água e o carnê do Imposto Predial Territorial Urbano (IPTU) chegarão mais caros este ano para o contribuinte. O reajuste da conta de água, fornecida pelo Serviço Autônomo de Água e Esgoto (SAAE), terá um acréscimo de 10,4%. Já o IPTU teve um reajuste de 7,54%.

O reajuste da conta de água será aplicado nas leituras realizadas a partir de 1º de fevereiro com vencimento em março. O aumento superior a 10% será nas tarifas e taxas cobrado pelo SAAE. As tarifas são de água e esgoto e a s taxas são de ligação de água e esgoto, multa por violação, religação, entre outras.

Atualmente, a tarifa de uma residência, com consumo mínimo de 15 metros cúbicos de água incluído o esgoto, é de R$ 43,28. A partir de fevereiro, passa a custar R$ 47,78. O aumento será repassado para as tarifas residenciais social, comercial, público e o industrial.

De acordo com o diretor administrativo do SAAE, Matheus Piantino, o aumento das taxas e tarifas do SAAE ficam mais de 27% abaixo do que é cobrado pela Companhia de Saneamento de Minas Gerais (Copasa), que é de mais de 38%. “O aumento foi autorizado e concedido pelo Agência Intermunicipal de Saneamento do Sul de Minas Gerais, a Arissmg, que é o órgão que regula a atuação dos SAAEs. Mostramos a nossa necessidade de reajuste em cima da previsão de execução orçamentária da autarquia, que é de R$ 23 milhões anuais” explicou o diretor.

"Deste montante, temos as despesas, que incluem o pagamento de salários, e os investimentos que tem de ser feitos. Do total reajustado, de 10,41%, somente 2,87% representam um aumento real, pois 7,54% é a reposição da inflação, o IGP-M”, complementou Matheus Piantino.

IPTU

O reajuste do IPTU foi feito a partir da variação do Índice Geral de Preços do Mercado (IGP-M) em 2018, que foi de 7,54%. O aumento no imposto municipal, que é pago por proprietários de imóveis, cumpre a legislação que obriga uma atualização do valor cobrado a cada três anos.

Na proposta apresentada pela prefeitura aos vereadores, em novembro do ano passado, o poder executivo almejava um aumento médio de 16%, podendo chegar a 24,9% o reajuste do imposto. O projeto de lei foi negado pela unanimidade dos vereadores após tramitar na casa legislativa municipal e ser votado no plenário.

O projeto de lei apresentado pelo diretor de fazenda, Júlio Sacramento, previa alíquotas diferenciadas para os imóveis residenciais e comerciais de acordo com a sua localização, utilização e valor venal.

 

Publicidade

Fale com a redação!

Deixe sua mensagem para a redação ;)