SÃO LOURENÇO ATUAL

APAE inicia campanha para não ocupação irregular de vagas de deficientes

Cadeiras de rodas foram colocadas em vagas comuns para chamar atenção da população
APAE inicia campanha para não ocupação irregular de vagas de deficientes
As cadeiras de rodas foram colocadas próximas a Básica Menor para impedir que as pessoas estacionassem/Foto: SL Atual

APAE inicia campanha para não ocupação irregular de vagas de deficientes

A Associação de Pais e Amigos dos Excepcionais (APAE) de São Lourenço iniciou, na manhã deste sábado, 9, a campanha “Essa vaga não é sua nem por um minutinho”. O objetivo da ação é conscientizar a população para não usar as vagas de estacionamento destinadas às Pessoas com Deficiência (PCD).

Antes do dia amanhecer, 18 cadeiras de rodas foram colocadas nas vagas de carros não destinadas às PCD na Avenida Dom Pedro II, esquina com Dr. Melo Viana, para impedir o estacionamento dos veículos. Nas cadeiras de rodas foram afixados papéis com frases contendo as diversas desculpas dadas pelos motoristas para ocupar a vagas indevidamente. Entre elas estão “Se alguém chegar, eu saio”, “Esta vaga é de idoso também”, “Ninguém vai reparar”, “Vou tomar um café rápido”, “Vou sair já”, entre outras.

Além das cadeiras de rodas, funcionários da APAE, assistidos e familiares dos assistidos fizeram panfletagem nas calçadas e nos semáforos do centro, onde uma faixa foi esticada com o tema da campanha.

A jornalista aposentada Ivonete Maciel é tia e responsável por Jorge Maciel da Silveira, o Jorginho, que é assistido pela APAE de São Lourenço. Ela é uma das pessoas que passa por dificuldades para estacionar o carro, embarcar e desembarcar o sobrinho, uma vez que as vagas são constantemente ocupadas irregularmente.

Para ela, a ação da APAE é uma forma de protesto para chamar a atenção da população sobre os direitos que a PCD tem assegurados. “No primeiro instante, quando vejo a vaga ocupada, fico aborrecida porque percebo uma falta de consciência e educação de quem usa a vaga indevidamente. A gente é obrigada a ficar rodando para dar tempo de o motorista chegar. É um transtorno. Não consigo desembarcar em qualquer lugar”, disse a jornalista.

De acordo com o presidente voluntário da APAE, Eduardo Gonçalves, as vagas destinadas às Pessoas com Deficiência não são um privilégio delas, mas sim uma necessidade daquelas que possuem mais autonomia ou dependem dos familiares para se locomoverem. “Essas vagas, não são exclusivas para os cadeirantes, mas para as pessoas que possuem qualquer tipo de deficiência. O cadeirante tem uma logística variada, sobretudo quando do desembarque. Você tem que tirar uma cadeira de rodas, muitas vezes desmontada no porta-malas para caber, e precisa de espaço para se ajustar. Não dá para aceitar essa desculpa de ser um minutinho só”,

O estacionamento sem credencial em vagas destinadas aos idosos e PCD é considerada pelo Código Brasileiro de Trânsito (CTB) infração gravíssima. A penalidade é multa, além da remoção do veículo. Em São Lourenço, para obter a credencial de idoso ou PCD, basta que a pessoa se dirija até a gerência municipal de trânsito (SL Trans) com carteira de identidade, comprovante de endereço e um laudo médico, no caso da PCD, para comprovar a deficiência.

“Quem recebe a credencial é o beneficiário e ela pode ser usada em qualquer veículo em que o beneficiário esteja sendo transportado. A credencial não é mais para o veículo. Ainda podem ser beneficiadas pessoas com deficiência temporária, que são aquelas que sofreram acidentes, a exemplo de quebrar uma perna”, explicou Carlos Otávio de Castro Brito, assessor de trânsito da SL Trans.

OUVIR NOTÍCIA

A Associação de Pais e Amigos dos Excepcionais (APAE) de São Lourenço iniciou, na manhã deste sábado, 9, a campanha “Essa vaga não é sua nem por um minutinho”. O objetivo da ação é conscientizar a população para não usar as vagas de estacionamento destinadas às Pessoas com Deficiência (PCD).

Antes do dia amanhecer, 18 cadeiras de rodas foram colocadas nas vagas de carros não destinadas às PCD na Avenida Dom Pedro II, esquina com Dr. Melo Viana, para impedir o estacionamento dos veículos. Nas cadeiras de rodas foram afixados papéis com frases contendo as diversas desculpas dadas pelos motoristas para ocupar a vagas indevidamente. Entre elas estão “Se alguém chegar, eu saio”, “Esta vaga é de idoso também”, “Ninguém vai reparar”, “Vou tomar um café rápido”, “Vou sair já”, entre outras.

Além das cadeiras de rodas, funcionários da APAE, assistidos e familiares dos assistidos fizeram panfletagem nas calçadas e nos semáforos do centro, onde uma faixa foi esticada com o tema da campanha.

A jornalista aposentada Ivonete Maciel é tia e responsável por Jorge Maciel da Silveira, o Jorginho, que é assistido pela APAE de São Lourenço. Ela é uma das pessoas que passa por dificuldades para estacionar o carro, embarcar e desembarcar o sobrinho, uma vez que as vagas são constantemente ocupadas irregularmente.

Para ela, a ação da APAE é uma forma de protesto para chamar a atenção da população sobre os direitos que a PCD tem assegurados. “No primeiro instante, quando vejo a vaga ocupada, fico aborrecida porque percebo uma falta de consciência e educação de quem usa a vaga indevidamente. A gente é obrigada a ficar rodando para dar tempo de o motorista chegar. É um transtorno. Não consigo desembarcar em qualquer lugar”, disse a jornalista.

De acordo com o presidente voluntário da APAE, Eduardo Gonçalves, as vagas destinadas às Pessoas com Deficiência não são um privilégio delas, mas sim uma necessidade daquelas que possuem mais autonomia ou dependem dos familiares para se locomoverem. “Essas vagas, não são exclusivas para os cadeirantes, mas para as pessoas que possuem qualquer tipo de deficiência. O cadeirante tem uma logística variada, sobretudo quando do desembarque. Você tem que tirar uma cadeira de rodas, muitas vezes desmontada no porta-malas para caber, e precisa de espaço para se ajustar. Não dá para aceitar essa desculpa de ser um minutinho só”,

O estacionamento sem credencial em vagas destinadas aos idosos e PCD é considerada pelo Código Brasileiro de Trânsito (CTB) infração gravíssima. A penalidade é multa, além da remoção do veículo. Em São Lourenço, para obter a credencial de idoso ou PCD, basta que a pessoa se dirija até a gerência municipal de trânsito (SL Trans) com carteira de identidade, comprovante de endereço e um laudo médico, no caso da PCD, para comprovar a deficiência.

“Quem recebe a credencial é o beneficiário e ela pode ser usada em qualquer veículo em que o beneficiário esteja sendo transportado. A credencial não é mais para o veículo. Ainda podem ser beneficiadas pessoas com deficiência temporária, que são aquelas que sofreram acidentes, a exemplo de quebrar uma perna”, explicou Carlos Otávio de Castro Brito, assessor de trânsito da SL Trans.

Comentários

Quer mais artigos e as newsletters editoriais no seu e-mail?

Receba as notícias do dia e os alertas de última hora.
[CARREGANDO...]

Confira mais Notícias

Política
Prazo para depoimento da prefeita Célia Cavalcanti na Comissão Processante expira
Prazo para depoimento da prefeita Célia Cavalcanti na Comissão Processante expira
VISUALIZAR
Geral
Vivo deverá pagar multa de R$ 10,4 milhões por desrespeito ao Sistema de Bloqueio de...
Vivo deverá pagar multa de R$ 10,4 milhões por desrespeito ao Sistema de Bloqueio de Telemarketing do MPMG
VISUALIZAR
Política
Estudantes de São Lourenço participam da Plenária Regional do Parlamento Jovem
Estudantes de São Lourenço participam da Plenária Regional do Parlamento Jovem
VISUALIZAR
Geral
Hospital São Lourenço tem novo provedor
Hospital São Lourenço tem novo provedor
VISUALIZAR
Política
O prazo para depoimento da prefeita Célia ser ouvida pela Comissão Processante inicia hoje
O prazo para depoimento da prefeita Célia ser ouvida pela Comissão Processante inicia hoje
VISUALIZAR
Cidade
Médicos do programa Revalida vão reforçar sistema de saúde em São Lourenço
Médicos do programa Revalida vão reforçar sistema de saúde em São Lourenço
VISUALIZAR
Fale com a redação!

Deixe sua mensagem para a redação ;)