SÃO LOURENÇO ATUAL

Diretora Administrativa da prefeitura ataca APAE para defender governo Célia Cavalcanti

Os comentários foram feitos no Facebook após denúncia da falta de repasses para instituição

Os prints dos primeiros comentários feitos pela diretora administrativa/Imagens extraídas do facebook do SL Atual

Por duas vezes a Diretora Administrativa da prefeitura, Carla Bacha de Lorenzo do Nascimento, usou da rede social Facebook para atacar a Associação de Pais e Amigos dos Excepcionais (APAE) com o objetivo de defender o governo Célia Cavalcanti. Ela, que é funcionária pública e tem um cargo comissionado na gestão da prefeita, disse, dentre as várias declarações, que a instituição é um pão bolorento e oportunista que só visa dinheiro.

As declarações foram feitas depois da publicação de dois conteúdos, uma matéria e um artigo de opinião, pelo São Lourenço Atual. A matéria denuncia a falta de repasses da prefeitura para o pagamento do Centro Dia, serviço contratado com a APAE. O artigo de opinião publicado, contesta as justificativas da prefeitura para não repassar os recursos. Ao todo foram feitos cinco comentários, todos nas publicações da página do São Lourenço Atual no Facebook

A matéria denunciou ausência de pagamento de nove das dez parcelas do contrato de assistência aos adultos com deficiência no valor de R$ 15 mil cada uma. A diretora administrativa classificou o conteúdo publicado como mentiroso. Foram ao todo três comentários. No primeiro comentário, Carla Bacha de Lorenzo do Nascimento escreveu “Mentira”.

No segundo comentário, a gestora administrativa disse que “A APAE tem que aprender a fazer prestação de contas”. No terceiro e último comentário, Carla diz que a APAE reclama de barriga cheia e onde chama a instituição de pão bolorento.

“Como todas as outras instituições. Eles não estão acima das outras como se acham. Reclamam de barriga cheia e como está cheia!!!!!! Por fora bela viola, por dentro pão bolorento!”, escreveu na última postagem que fez.

Nos comentários realizados sobre o artigo de opinião, a diretora, voltou a desqualificar a publicação deste site e atacar a APAE. Ela, por não saber distinguir a diferença entre uma matéria jornalística e um artigo de opinião, muito bem claro na publicação, disse que a “matéria” é tendenciosa.

“Para quem não conhece a realidade, faz esse tipo de matéria mentirosa e oportunista. Existem regras para serem cumpridas, prestações de contas que não são feitas. Marco regulatório tem que ser cumprido não é por ser a APAE que eles podem fazer o que querem. A APAE tem que aprender a trabalhar a cumprir datas. O MP poderia mandar fazer uma auditoria na APAE”, atacou.

Ela ainda prosseguiu atacando dizendo que a instituição não tem expertise comprovada e é oportunista que só visa dinheiro. A diretora afirmou que a habilitação do Centro Especializado em Reabilitação tipo II foi feito a partir de interesses políticos enquanto a prefeita estava afastada em função da cassação.

“E outra coisa o CER II NÃO comrova (comprova) expertise nenhuma da aoae (APAE), comprovante mais um oportunismo da instituição que só visa dinheiro. Esse serviço era pra ser feito pela prefeitura não é de competência da APAE está completamente fora do objetivo da APAE. A prefeitura abriu mão desse serviço no período que a prefeita Célia Cavalcanti estava afastada, correndo, às pressas, logicamente com interesses políticos. Vereadores por favor peçam uma intervenção nas contas e nos serviços prestados pela APAE”, comentou.

A diretora Administrativa foi nomeada pela prefeita Célia Cavalcanti para o cargo no dia 8 de agosto, ocasião em que ela retornou ao cargo de chefe do executivo após cinco meses de afastamento após cassação.

Através de nota à imprensa, a APAE lamentou as agressões feita pela diretora Administrava. “A Diretoria da APAE de São Lourenço representando todos os usuários e familiares do movimento Apaeano lamentam as agressões, descontrole emocional e desconhecimento real dos fatos apresentados por aqueles que não compreendem, de fato, a magnitude dos serviços. Esperamos fazer jus logo em breve das parcelas em aberto".

A prefeitura de São Lourenço também enviou nota dizendo que as declarações não representam a opinião do poder executivo. “As declarações em pauta foram efetuadas pela Senhora Carla de Lorenzo em seu perfil pessoal do Facebook, sendo sua opinião pessoal, não refletindo a opinião do Poder Executivo Municipal”.

O Centro Dia

O Centro Dia é um serviço de Assistência Social, contratado pela Prefeitura de São Lourenço, que atende Pessoas com Deficiência (PCD) na fase adulta, entre 18 e 59 anos. Além das PCD que não tem autonomia, o serviço ainda atende os familiares para reduzir o estresse gerado dos cuidados prolongados na família.

No serviço são desenvolvidas atividades que permitem convivência em grupo, cuidados pessoais, fortalecimento das relações sociais, apoio e orientação aos cuidadores familiares, acesso a outros serviços e a tecnologias que proporcionam autonomia e convivência. Por obrigação, a unidade ainda deve, obrigatoriamente, ofertar o Serviço de Proteção Social Especial para Pessoas com Deficiência e suas famílias.

O São Lourenço Atual entrou em contato com a Sra. Carla de Lorenzo e até o fechamento desta matéria não obteve resposta. Continuamos a disposição para esclarecimentos através do e-mail: saolourencoatual@slatual.com.br ou pelas redes sociais. 

 

  • Compartilhe
  • Compartilhar no Facebook
  • Compartilhar no Google Plus
  • Compartilhar no Twitter
  • Compartilhar no WhatsApp

Diretora Administrativa da prefeitura ataca APAE para defender governo Célia Cavalcanti

Por duas vezes a Diretora Administrativa da prefeitura, Carla Bacha de Lorenzo do Nascimento, usou da rede social Facebook para atacar a Associação de Pais e Amigos dos Excepcionais (APAE) com o objetivo de defender o governo Célia Cavalcanti. Ela, que é funcionária pública e tem um cargo comissionado na gestão da prefeita, disse, dentre as várias declarações, que a instituição é um pão bolorento e oportunista que só visa dinheiro.

As declarações foram feitas depois da publicação de dois conteúdos, uma matéria e um artigo de opinião, pelo São Lourenço Atual. A matéria denuncia a falta de repasses da prefeitura para o pagamento do Centro Dia, serviço contratado com a APAE. O artigo de opinião publicado, contesta as justificativas da prefeitura para não repassar os recursos. Ao todo foram feitos cinco comentários, todos nas publicações da página do São Lourenço Atual no Facebook

A matéria denunciou ausência de pagamento de nove das dez parcelas do contrato de assistência aos adultos com deficiência no valor de R$ 15 mil cada uma. A diretora administrativa classificou o conteúdo publicado como mentiroso. Foram ao todo três comentários. No primeiro comentário, Carla Bacha de Lorenzo do Nascimento escreveu “Mentira”.

No segundo comentário, a gestora administrativa disse que “A APAE tem que aprender a fazer prestação de contas”. No terceiro e último comentário, Carla diz que a APAE reclama de barriga cheia e onde chama a instituição de pão bolorento.

“Como todas as outras instituições. Eles não estão acima das outras como se acham. Reclamam de barriga cheia e como está cheia!!!!!! Por fora bela viola, por dentro pão bolorento!”, escreveu na última postagem que fez.

Nos comentários realizados sobre o artigo de opinião, a diretora, voltou a desqualificar a publicação deste site e atacar a APAE. Ela, por não saber distinguir a diferença entre uma matéria jornalística e um artigo de opinião, muito bem claro na publicação, disse que a “matéria” é tendenciosa.

“Para quem não conhece a realidade, faz esse tipo de matéria mentirosa e oportunista. Existem regras para serem cumpridas, prestações de contas que não são feitas. Marco regulatório tem que ser cumprido não é por ser a APAE que eles podem fazer o que querem. A APAE tem que aprender a trabalhar a cumprir datas. O MP poderia mandar fazer uma auditoria na APAE”, atacou.

Ela ainda prosseguiu atacando dizendo que a instituição não tem expertise comprovada e é oportunista que só visa dinheiro. A diretora afirmou que a habilitação do Centro Especializado em Reabilitação tipo II foi feito a partir de interesses políticos enquanto a prefeita estava afastada em função da cassação.

“E outra coisa o CER II NÃO comrova (comprova) expertise nenhuma da aoae (APAE), comprovante mais um oportunismo da instituição que só visa dinheiro. Esse serviço era pra ser feito pela prefeitura não é de competência da APAE está completamente fora do objetivo da APAE. A prefeitura abriu mão desse serviço no período que a prefeita Célia Cavalcanti estava afastada, correndo, às pressas, logicamente com interesses políticos. Vereadores por favor peçam uma intervenção nas contas e nos serviços prestados pela APAE”, comentou.

A diretora Administrativa foi nomeada pela prefeita Célia Cavalcanti para o cargo no dia 8 de agosto, ocasião em que ela retornou ao cargo de chefe do executivo após cinco meses de afastamento após cassação.

Através de nota à imprensa, a APAE lamentou as agressões feita pela diretora Administrava. “A Diretoria da APAE de São Lourenço representando todos os usuários e familiares do movimento Apaeano lamentam as agressões, descontrole emocional e desconhecimento real dos fatos apresentados por aqueles que não compreendem, de fato, a magnitude dos serviços. Esperamos fazer jus logo em breve das parcelas em aberto".

A prefeitura de São Lourenço também enviou nota dizendo que as declarações não representam a opinião do poder executivo. “As declarações em pauta foram efetuadas pela Senhora Carla de Lorenzo em seu perfil pessoal do Facebook, sendo sua opinião pessoal, não refletindo a opinião do Poder Executivo Municipal”.

O Centro Dia

O Centro Dia é um serviço de Assistência Social, contratado pela Prefeitura de São Lourenço, que atende Pessoas com Deficiência (PCD) na fase adulta, entre 18 e 59 anos. Além das PCD que não tem autonomia, o serviço ainda atende os familiares para reduzir o estresse gerado dos cuidados prolongados na família.

No serviço são desenvolvidas atividades que permitem convivência em grupo, cuidados pessoais, fortalecimento das relações sociais, apoio e orientação aos cuidadores familiares, acesso a outros serviços e a tecnologias que proporcionam autonomia e convivência. Por obrigação, a unidade ainda deve, obrigatoriamente, ofertar o Serviço de Proteção Social Especial para Pessoas com Deficiência e suas famílias.

O São Lourenço Atual entrou em contato com a Sra. Carla de Lorenzo e até o fechamento desta matéria não obteve resposta. Continuamos a disposição para esclarecimentos através do e-mail: saolourencoatual@slatual.com.br ou pelas redes sociais. 

 

Publicidade

Fale com a redação!

Deixe sua mensagem para a redação ;)