SÃO LOURENÇO ATUAL

Governador promete enxugar a máquina pública

Em pronunciamento à imprensa, Romeu Zema afirma que adotará medidas para reduzir a estrutura administrativa e cortar gastos.

Romeu Zema falou para jornalistas antes da solenidade de posse na Assembleia de Minas/Foto: Ricardo Barbosa

O governador Romeu Zema (Novo), em pronunciamento feito à imprensa, na manhã desta terça-feira, 1º, afirmou que passará a limpo o Estado, “abrindo a caixa preta das finanças públicas”. A declaração foi dada antes da cerimônia de posse no Plenário da Assembleia Legislativa de Minas Gerais (ALMG).

De acordo com ele, além de “arrumar a casa”, uma das prioridades do seu governo será renegociar a dívida de Minas com a União. Para tanto, ele pretende enxugar a estrutura administrativa, inclusive com o corte de cargos por indicações políticas: “Vamos acabar com os cabides de emprego, mordomias, luxo e desperdícios”.

"Todos nós, sem exceção, teremos que fazer sacrifícios”, alertou o governador. Ele afirmou que diante de um “estado falido”, é preciso união dos 22 milhões de mineiros. Zema falou sobre a intenção de construir entre os Poderes um “pacto de cooperação por Minas Gerais”.

Romeu Zema salientou que vai trabalhar para colocar em dia as contas do Estado e promover a regularização do pagamento de salários dos servidores estaduais e dos repasses constitucionais às prefeituras. "É necessário dar condições para que os servidores exerçam suas funções com excelência, sobretudo no que diz respeito ao atendimento à população".

Por fim, Romeu Zema disse que espera contar com a imprensa, que “terá papel fundamental no processo de transparência a ser implementado”.

 

Fonte

ALMG
  • Compartilhe
  • Compartilhar no Facebook
  • Compartilhar no Google Plus
  • Compartilhar no Twitter
  • Compartilhar no WhatsApp

Governador promete enxugar a máquina pública

ALMG

O governador Romeu Zema (Novo), em pronunciamento feito à imprensa, na manhã desta terça-feira, 1º, afirmou que passará a limpo o Estado, “abrindo a caixa preta das finanças públicas”. A declaração foi dada antes da cerimônia de posse no Plenário da Assembleia Legislativa de Minas Gerais (ALMG).

De acordo com ele, além de “arrumar a casa”, uma das prioridades do seu governo será renegociar a dívida de Minas com a União. Para tanto, ele pretende enxugar a estrutura administrativa, inclusive com o corte de cargos por indicações políticas: “Vamos acabar com os cabides de emprego, mordomias, luxo e desperdícios”.

"Todos nós, sem exceção, teremos que fazer sacrifícios”, alertou o governador. Ele afirmou que diante de um “estado falido”, é preciso união dos 22 milhões de mineiros. Zema falou sobre a intenção de construir entre os Poderes um “pacto de cooperação por Minas Gerais”.

Romeu Zema salientou que vai trabalhar para colocar em dia as contas do Estado e promover a regularização do pagamento de salários dos servidores estaduais e dos repasses constitucionais às prefeituras. "É necessário dar condições para que os servidores exerçam suas funções com excelência, sobretudo no que diz respeito ao atendimento à população".

Por fim, Romeu Zema disse que espera contar com a imprensa, que “terá papel fundamental no processo de transparência a ser implementado”.

 

Publicidade

Fale com a redação!

Deixe sua mensagem para a redação ;)