SÃO LOURENÇO ATUAL

MENU
Logo
Terça, 11 de agosto de 2020
Publicidade
Publicidade

Política

Operação que investiga Rachadinha em São Lourenço prende uma pessoa

Vereador estaria trocando indicações no poder executivo para receber parte pagamento do indicado

Imagem de capa
A-
A+
Use este espaço apenas para a comunicação de erros nesta postagem
Máximo 600 caracteres.
enviando

Uma operação conjunta da Polícia Militar e da 4ª Promotoria do Ministério Público de Minas Gerais (MPMG) cumpriu dois mandados de busca e apreensão na manhã desta quarta-feira, 10. O objetivo é investigar a “rachadinha” de vencimentos nos poderes executivo e legislativo de São Lourenço.

Ao todo quatro viaturas estiveram empenhadas na operação, que teve como resultado uma prisão em função do revólver calibre 38 encontrado. Ainda foram apreendidas oito munições calibre 38, três aparelhos celulares, 76 folhas de cheques de diversas instituições bancárias, além de dinheiro em espécie.

Os valores totalizam R$ 173.089,00, sendo R$ 161.314,00 em cheques e mais 11.775,00 em dinheiro. Os materiais apreendidos foram encaminhados a sede das promotorias de justiça Ministério Público para procedimentos de praxe.

De acordo com o promotor Leandro Pannaim há denúncia no MPMG que um vereador estaria indicando pessoas para trabalhar no poder executivo em troca de valores. “A Rachadinha é a entrega de valores em troca de nomeações de cargos na prefeitura. O nomeado entrega parte do salário ao vereador que teria indicado. Sabemos que há um caso e os outros estamos apurando”, disse o promotor.

O processo e as investigações correm em segredo de justiça, o que impediu o promotor da 4ª Promotoria de São Lourenço revelar os nomes do referido vereador, a pessoa presa e detalhes dos trabalhos em curso.

“Já algum tempo se fala que isso acontece (a Racahadinha). Estamos apurando a extensão disso, pois tem que ter um para pedir e outro para nomear. As investigações já estão bem encaminhadas e vamos analisar os materiais apreendidos. O fato é que foi encontrado muito dinheiro na casa de um indivíduo e isso vai ter que ser justificado”, finalizou Pannaim.

 

Créditos (Imagem de capa): A sede das promotorias de justiça em São Lourenço/Foto: SL Atual

Comentários:

Deixe sua mensagem para a redação ;)