SÃO LOURENÇO ATUAL

MENU
Logo
Terça, 11 de agosto de 2020
Publicidade
Publicidade

Cidade

Para secretário de Saúde de SL reabertura da economia depende da população

Com índice de contaminação alto, é preciso que a população tome mais cuidados com higienização

Imagem de capa
A-
A+
Use este espaço apenas para a comunicação de erros nesta postagem
Máximo 600 caracteres.
enviando

Em explanação na Câmara Municipal sobre a situação do novo coronavírus, o Covid-19, o secretário de Saúde de São Lourenço, Everton Andrade, destacou que mais flexibilização econômica no município haverá somente após diminuição do índice de contaminação na cidade, o que, segundo ele, depende da população fazer a parte dela na prevenção da disseminação do vírus.  A audiência aconteceu nesta segunda-feira, 29, na sede do legislativo durante reunião semanal dos vereadores.

O secretário foi sabatinado pelos parlamentares municipais por cerca de 2h 30min, em pé em uma das tribunas da casa legislativa, que o questionaram sobre diversos pontos, inclusive os leitos hospitalares, utilização do prédio da Unidade de Pronto Atendimento 24 horas,  flexibilização do comércio, hábitos de higiene e o uso de máscara, entre outros assuntos.

De acordo com o gestor do Sistema Único de Saúde (SUS) municipal, o índice de contaminação da cidade ainda é alto, o que compromete a capacidade da rede hospitalar de absorver uma possível demanda.

“O índice de contaminação de São Lourenço está superior ao do Estado. A projeção que fiz para do índice de contaminação da cidade está 1.3 enquanto a do Estado está de 1 a 1.1 na curva. A capacidade de leitos hospitalares demanda um índice de até 1,2. A taxa de ocupação do Estado é de 85% dos leitos de UTI. Ainda temos leitos sobrando, mas temos que melhorar a taxa de contaminação”, explicou Everton Andrade.  

O secretário ainda explicou que a taxa de contaminação não está diretamente ligada a taxa de isolamento social e sim aos novos hábitos de higiene, distanciamento e uso da máscara. “Tem municípios que tem o índice de isolamento social é menor do que o nosso e o índice de contaminação é menor. Se a gente melhorar as condições de higiene e distanciamento podemos ter um percentual de contaminação menor e flexibilizar mais. Nossas práticas pessoais e hábitos não estão favorecendo que a gente diminua o potencial de contaminação da nossa cidade”, disse Everton.

Para o gestor, a volta da economia com a abertura de todos os estabelecimentos comerciais e da cidade para os turistas depende das atitudes da população. A reabertura depende dos indicadores de contaminação e comprometimento dos leitos hospitalares.

“A gente só vai voltar a ter uma vida no novo normal a partir do momento que a população começar a assimilar os novos hábitos. Sem essa condição da população usar máscara e adotar medidas de higiene, somente vamos ver a nossa cidade funcionando, perto da normalidade com turista e com tudo com a gente quer que volte, quando vier a vacina. Se o índice de contaminação na cidade cair, pode haver mais flexibilização da economia. A partir do momento que temos um índice menor de contaminação, teremos um comprometimento menor de leitos hospitalares”, afirmou.

Prédio da UPA

Sobre o prédio da UPA 24 horas que será utilizado pelo Pronto Socorro do Hospital São Lourenço, o secretário disse que inicialmente será utilizado para atendimentos dos casos de síndrome gripal, que é feito nas tendas montadas na frente da unidade.

“Parte do Pronto Socorro já vai agora em julho com a tenda dos pacientes com síndrome gripal. O próximo passo é mudança de todo o pronto socorro, pois o prédio foi feito para ser UPA”, finalizou.

 

Créditos (Imagem de capa): O secretário de Saúde, Everton Andrade, durante a reunião ordinária da Câmara Municipal/Foto: SL Atual

Comentários:

Deixe sua mensagem para a redação ;)