SÃO LOURENÇO ATUAL

MENU
Logo
Domingo, 20 de setembro de 2020
Publicidade
Publicidade

Turismo

Salão Nacional de Turismo debate rota de Nhá Chica em São Lourenço

O salão foi um momento de troca de experiências entre diversas rotas turísticas religiosas

Imagem de capa
A-
A+
Use este espaço apenas para a comunicação de erros nesta postagem
Máximo 600 caracteres.
enviando

Entre os dias 28 e 30 de novembro representantes da Igreja Católica, SEBRAE, empresas privadas e do setor público estiveram reunidos no 4º Salão Nacional do Turismo Religioso em São Lourenço para debater a rota turística de Nhá Chica – Caminhos da Virtude. O objetivo foi de mobilizar e envolver a comunidade sobre a importância da rota e, assim, consolidar o caminho, entre os envolvidos.

Realizado no salão Dom Diamantino, da Basílica Menor de São Lourenço, o evento contou com uma programação de painéis com discussões, apresentações e trocas de experiências entre as diversas rotas e caminhos de peregrinação existentes, a exemplo o de Nossa Senhora Aparecida.

Além das discussões, os participantes do evento fizeram uma visita técnica à Igreja Matriz Nossa Senhora de Montserrat e Santuário Nhá Chica, em Baependi. Ainda fizeram uma visita turística religiosa a rota e a primeira peregrinação oficial.

Para a Igreja Católica as rotas religiosas, que são novidades no Brasil, são oportunidades de evangelização, a boa notícia sobre Cristo. “Olhar para Nhá Chica é olhar para uma mulher de fé reconhecida pela Igreja e isso é um anúncio explicito de Jesus. As rotas são boas notícias para as comunidades por onde o caminho passa, que é o desenvolvimento sustentável, geração de emprego e renda com oportunidades na própria terra natal da pessoa”, disse o Padre Manoel Oliveira, coordenador da Pastoral do Turismo Brasil.

De acordo com o organizador do evento, Josimar Azevedo, a rota de Nhá Chica tem as principais características que uma rota religiosa precisa ter. “Essa é uma rota é de uma santa brasileira que tem uma história maravilhosa de vida em um ambiente cultural, social e natural. Em uma rota religiosa a fé é o ponto de partida e chegada. Ela tem que ter uma boa história para contar e Nhá Chica tem, além disso tem um rico patrimônio cultural e natural”, disse Josimar Azevedo, organizador do evento e professor da PUC Minas.

A Rota

Lançada em agosto deste ano, em Baependi, a rota envolve 11 trechos mineiros com 220 Km de distância e pode ser feita partindo de São Lourenço até Tiradentes ou de Tiradentes a São Lourenço. Os trechos são: Caminhos da Castidade, Prudência, Fé, Humildade, Fortaleza, Justiça, Pobreza, Obediência, Caridade, Esperança e Temperança. Além de São Lourenço e Tiradentes, os municípios que compõe a rota são: Soledade de Minas, Caxambu, Baependi, Cruzília, Santa Cruz de Minas, São João Del-Rei e Carrancas.

Nhá Chica

Francisca de Paula de Jesus, a Nhá Chica, era negra, analfabeta e filha de escrava. Nasceu em Santo Antônio do Rio das Mortes, pequeno distrito de São João del-Rei. A beata viveu a maior parte da vida em Baependi, no Sul de Minas, onde dedicou-se aos mais necessitados ficando conhecida como a “mãe dos pobres”. Desde a sua morte, em 14 de junho de 1895, vários milagres e graças são atribuídos a ela. Esses relatos de cura por intercessão sem explicação científica foram decisivos para a sua beatificação em 2013.

Em devoção a Nhá Chica, anualmente, centenas de pessoas fazem peregrinação rumo a Baependi (cidade onde a religiosa morreu) em agradecimento as graças alcançadas. A caminhada é por uma estrada de chão com paisagens exuberantes de cachoeiras, grutas, mirantes, serras e represas.

Organização

O SANTURE, de São Lourenço, é organizado pelo Caminho Religioso da Estrada Real (CRER) e Sebrae Minas e teve o apoio da Prefeitura de São Lourenço.

Créditos (Imagem de capa): O 4º Salão Nacional de Turismo Religioso/Foto: SL Atual

Comentários:

Deixe sua mensagem para a redação ;)