SÃO LOURENÇO ATUAL

MENU
Logo
Segunda, 17 de maio de 2021
Publicidade
Publicidade

Coluna

Precaver-se é a melhor solução

Felizmente compareci a DP...

Imagem de capa
A-
A+
Use este espaço apenas para a comunicação de erros nesta postagem
Máximo 600 caracteres.
enviando

 

Precaver-se é a melhor solução

           

Solicitado no interior do estacionamento por um hóspede do hotel que nos encontrávamos à cidade de Serra Negra, SP, atendendo-o, fui ao seu encontro saber do que se tratava, já que seu semblante mostrava-se um tanto assustado e temeroso.

 

            Indagando-me se conhecia sobre drogas, apresentou-me um pequeno pacote contendo uma erva seca e esverdeada, perguntando se era maconha. Embora, claro, não seja exper na matéria, mas pelo bodum exalado, tudo levava a crer se tratar da canabis sativa. Curioso e porque não desconfiado, indaguei do cidadão qual seria o problema. Um tanto confuso e nervoso, contou-me que havia achado o pacote sob o banco dianteiro do seu carro e estranhava, porque fora ele, só o hotel teria acesso  às chaves do veículo

 

            Desconfiado, por questão de segurança, sugeri que levasse ao conhecimento da direção do hotel o problema, bem como entregasse à DP local a provável droga, relatando as autoridades o ocorrido. Afinal seria a maneira correta de livrar-se de qualquer dificuldade futura com relação a possíveis contratempos junto ao traficante e com a própria polícia. Dando de ombro, entrou no carro e saiu.

 

            Mesmo não tendo nada com o problema, após uma rápida vistoria no meu veículo, retornei e expus o fato ao gerente, que prometeu providências imediatas em averiguar o autor da abusada e delituosa ação. Três dias  depois, fui solicitado a comparecer a DP para testemunhar em favor daquele cidadão descansado ou medroso, que teve a droga colocada no seu carro. Pois por azar, foi pego numa “blitz policial ”na cidade, em que foi encontrada drogas sob o tapete do porta malas. Felizmente para o desafortunado homem, eu me precavendo de possíveis problemas, além de comunicar o fato a gerência do hotel, fui a DP e fiz um BO do acontecido. Portanto, graças ao meu procedimento, o envolvimento do cidadão foi considerado  involuntário no transporte das 250g de drogas, no que pese as suspeitas ainda pudessem ser mantidas enquanto o dito traficante não fosse preso a esclarecer o delito.

 

            Moral da história: É melhor se prevenir de uma realidade, do que se tolhir pelo temor tentando ocultar uma verdade de consequências imprevisíveis...

           

            Ah... Esses “Turistas Temerosos” quando se veem em situações aflitivas por se envolver pelo sentimento do medo, atribuindo com isso livrar-se de complicações, são na verdade uns otários e cagões que lamentavelmente nos oferecem momentos tristes e inoportunos, mas que nos proporcionam sempre uma ponta de bastante pitorescos, olhando-se pela ótica da praticidade...

Comentários:

Deixe sua mensagem para a redação ;)